Lonjiku Kaijitsu (MORTO)

Patriarca da nobre família fundadora Kaijitsu.

Description:

INTERAÇÕES NA CAMPANHA

  • Lonjiku alugava periodicamente a fornalha para os capangas Sczarni destruírem evidências, visto que o fogo é quente o bastante para queimar até ossos e dentes. Tsuto usava desse conhecimento para chantagear Lonjiku, ameaçava revelar suas conexões com a família Scnarzi se ele não deixasse o portão norte da cidade aberto, uma escada na parede do cemitério, e na noite do festival se certificasse que a vidraria estivesse vazia.
  • Teve sua ausência notada na abertura do Festival Cauda-de-Andorinha, discursaria representando os nobres da cidade, mas alegou doença e não compareceu.
  • Pensando em fugir, ele tenta persuadir sua filha Ameiko a partir com ele, mas os desentendimentos do passado são profundos, e ela recusa resultando numa acalorada discussão, no Dragão Enferrujado. Um dia depois Ameiko desaparece.
  • Lonjiku pede ajuda aos Sczarni, que negam, e o incitam a resolver os seus próprios problemas. Cansado de ser chantageado por um lado e pressionado por outro, Lonjiku decide acabar com o bastardo com suas próprias mãos, mas ele é capturado, torturado e morto por Tsuto numa armadilha.
Bio:

Os Ancestrais de Lonjiku Kaijistu’s atravessaram a Coroa do Mundo vindos da mítica Tian Xia a muito tempo atrás, finalmente estabelecendo-se na cidade de Magnimar onde comércio da família teve papel importante para sua aceitação na sociedade. O processo de fazer vidro é tanto uma arte quanto ofício, e um que a família Kaijitsu tem orgulho de exercer por várias gerações. Esse mesmo comércio trouxe eventualmente a família para Pontal da Areia.

Quando a Liga Mercantil de Pontal da Areia foi formada, os Kaijitsu estavam lá, e pouco depois de Pontal da Areia ter sido fundada, eles começaram a construção do que seria o negócio mais singular e rentável da cidade—A Vidraria de Pontal da Areia. Os três componentes principais do vidro são encontrados em abundância na região: areia, algas e plantas tolerantes a salinidade (suas cinzas formam um importante reagente), e cal extraído da pedreira do Platô do Diabo.

Lonjiku herdou a Vidraria de seu pai a trinta e quatro anos atrás, e seus princípios tradicionais de comportamento rapidamente foram impostos aos outros membros da família. Lonjinku ficou viúvo ao perder sua esposa Atsuii, que caiu da sacada de sua mansão cinco anos atrás. Seus filhos Ameiko e Tsuto estão afastados da família, cada um por diferentes razões.

Ameiko partiu da cidade para se aventurar (o que foi, aos olhos de seu pai, uma terrível vergonha para a honra da família) somente retornando quando descobriu que sua mãe havia morrido.

Tsuto foi um escândalo quando nasceu vinte e um anos atrás, visto que ele é u meio-elfo e nem Lonjiku nem sua esposa eram elfos. Quando atingiu idade suficiente foi exilado na Academia Tundarok por seu pai. Lonjiku não manteve nenhum contato com o filho desde então, solidificando o status dele de ovelha negra da família. Três anos atrás, Tsuto saiu da Academia Tundarok e deixou Pontal da Areia.

Lonjiku Kaijitsu (MORTO)

A Ascensão dos Runelords sergionauta